Você precisa conhecer o Fakie Fish, o Fish and Chips (peixe e batatas) vegano da rede Sirene

Era pra ser uma livraria, não fosse a intuição de Afonso Neto para o mar de possibilidades que a cena noturna de Curitiba possibilitava. O empreendedor quis criar um espaço que atraísse um pessoal jovem como ele, uma marca que engajasse um público variado e moderno, incluindo os veganos, uma galera de paladar exigente, em franca expansão. Com os três sócios, Alexandre Lopes, Raphael Umbelino e Lucas Miller, nascia na capital paranaense o Sirène, um bar cheio de atitude, que logo se replicou em franquias por outros estados do país. Só em Curitiba já são quatro bares, outro em Balneário Camboriú, no centro histórico de Floripa, um em Belo Horizonte, outro na capital paulistana, e mais recentemente a rede aportou também em Brasília. É neste universo descolado que chega uma novidade, você precisa conhecer o Fakie Fish, o Fish and Chips (peixe e batatas) na versão vegana da rede Sirene.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A textura é tão “peixe” que um incauto irá jurar que mastigou uma escama, ou um espinho, dado à consistência e ao sabor.

Desde o início o Fish n’Chips foi escolhido como o prato principal, tipicamente inglês, simples, popular e que eles sugerem harmonizar com chopp e cervejas. Com linguagem visual bem autoral, em toda parte dos espaços emergem referências aos mares e aos seres mitológicos que dão nome ao lugar, e essa identidade forte se derrama inclusive nas embalagens, como nos cones onde os pratos são servidos, ou nos guardanapos. Como tudo é muito sedutor, tritões do asfalto e sereias urbanas, e todo tipo de gente se deixa enroscar nessa rede para comer e beber em ambiente hype e descomplicado. É mais ou menos assim: você se sente na praia, ainda que no asfalto, e o melhor é que pode se jogar nesse remanso beliscando agora uma opção de comida 100% vegetal. Vem comigo, continue a leitura que tem surpresa nessa espuma 😉

 

Com o interesse despertado pelos comentários pra lá de positivos sobre o lugar, cedi ao canto da sereia e rumei para a Vila Madalena, mais exatamente ao Beco do Batman. Quem nunca esteve nesse cantinho da cidade de São Paulo não faz ideia do que vem a ser. Um local peculiar,  com música ao vivo, molejo e feira de artesanato nos fins de semana, e cujas ruas do entorno concentram ateliês, lojinhas e muita descontração. É tudo espontâneo, e você nunca sabe o que vai rolar lá no próximo sábado. Imagine um lugar onde se faz fila para posar para fotos em frente às obras de street art das paredes, imagens que depois vão alimentar feeds de redes sociais por aí, o que atraí ainda mais público… Essa é o encanto do lugar, mas como minha praia é a comida boa e plant-based, atraquei no Sirène do Beco do Batman atraído não só pelo agito. O bar que garante servir “a melhor versão vegan do fish and chips que você comerá em sua vida” :-0.  Sim, ela existe e se chama Fakie Fish, um prato servido em cone, no estilo finger foods, fritinho e crocante, escandalosamente crocante, de lamber os dedos. As porções combinadas da batata rústica e “peixe” chegaram na medida certa da minha fome. Devido à “pele” feita de algas, o “peixe tem um sabor marinado, e não deixa rastro do gosto da soja de que é feito – e soja não transgênica, diga-se. A textura é tão  “peixe” que um incauto irá jurar que mastigou uma escama, ou um espinho, dado à consistência e ao sabor. O “peixinho” é da marca  de produtos plant-based Germinou, que vem se consagrando no mercado ao oferecer ampla gama de carnes vegetais, além dos queijos sem laticínios, tudo também disponível na recém lançada loja virtual dessa marca. Mas voltando ao meu Fakie Fish, a experiência não seria completa não fosse poder afogar meus “peixinhos” e minhas batatas tipo chips naquela maionese de alho da casa, ou no molho tártaro que vieram o prato, acompanhamentos cremosos produzidos com o delicado requeijão  que também são da marca Germinou. O match perfeito aconteceu quando combinei meu prato com uns goles do Chopp, que é artesanal. Mas se você não estiver a fim de consumir álcool, a pedida  é harmonizar seu Fakie Fish com um delicioso chá gelado.

Lançamento da rede Sirène, o Fakie Fish 100% vegetal está tinindo de novo. Por enquanto está disponível apenas na unidade de Balneário Camboriú, na Vicente Machado e na Trajano Reis, ambas em Curitiba e, claro, na casa do SPVeg que fica Beco do Batman.

Quando finalizávamos este artigo a rede Sirene confirmou que estão finalizando os testes para “veganizar” o SanduFakie, com os peixinhos veganos no pão. Hoje é possível provar o sanduíche pedindo para tirar a cebola, pois eles a fritam na manteiga.

 

Serviço:
https://www.instagram.com/sirenebrazil/

Praia dos Amores, Balneário Camboriú
Av. Ruy Barbosa – Praia dos Amores, Balneário Camboriú
Qua a Sex: 19h às 23h
Sáb e Dom: 18h às 23h
https://www.instagram.com/sirene_praiadosamores/

 

Trajano Reis, Curitiba
Rua Trajano Reis, 150, Centro
Ter a Qui: 18h às 00h
Sex e Sáb: 18h às 01h
dom: 17h às 23h
https://www.instagram.com/sirene_trajano/

 

Vicente Machado, Curitiba
Avenida Vicente Machado, 632, Batel
Ter a Qui: 18h às 00h
Sex e Sáb: 18h às 01h
Dom: 17h às 23h
https://www.instagram.com/sirene_vicente/

 

Beco do Batman, São Paulo
Rua Harmonia, 150
Ter a Sex 16h às 22h
Sáb e Dom: 12h às 22h
https://www.instagram.com/sirene_becodobatman/

 

Este post tem apoio da @germinouoficial que, além de oferecer produtos veganos de qualidade para o mercado do food service, ela é pioneira no trabalho de captar e assessorar a criação de opções veganas em estabelecimentos que promovem a alimentação fora do lar. No seu mix de produtos, queijos de castanha de caju (que ralam, fatiam, derretem e gratinam), cream gourmet (requeijão de inhame e e também na versão chocolate tipo ganache), carnes vegetal (frango, presunto, salsicha) e manteiga, todos veganos.

Colaboradora de redação: Meire de Oliveira

 

 

Avaliação:
Booking.com

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*