Congolinária, gastronomia congolesa vegana por um refugiado.

Congolinária, gastronomia congolesa vegana por um refugiado.

O Congolinária Gastronomia Congolesa Vegana

passará a atender no Fatiado Discos

(atualizado em 08 de Setembro de 2017)

Congolinária na Fatiado Discos à partir de 30 Setembro.

 

Endereço: Fatiado Discos, Av. Prof. Alfonso Bovero, 382 – Sumaré, São Paulo – SP.

 

 

São Paulo é uma cidade incrível, apesar de termos muitos problemas que nos deixam atrás de famosas capitais mundiais, mas na gastronomia podemos dizer que estamos bem desenvolvidos. Falamos aqui por exemplo em um roteiro com opções gastronômicas de 8 nacionalidades diferentes (leia mais aqui) e agora mais uma, a gastronomia do Congo aqui em São Paulo que pode ser apreciada no Congolinária.

congolinaria-meni-01

 

A culinária congolesa tem como base produtos naturais sem aditivos químicos e/ou industrializados, tem muita semelhança com nossa base gastronômica. Os pratos são preparados de forma artesanal onde segue viva a tradição familiar de se preparar tudo e se alimentar dentro de casa.

congolinaria-nhoque-01

Do Congo para o mundo, ou melhor, para São Paulo o refugiado congolês Pitchou Luambo trouxe toda sua experiência e com ajuda da sua filha Marie Luambo lançaram o Congolinária e nos mostraram o sabores do Congo na melhor maneira, a vegana, através dos pratos tradicionais como as sambusas (uma espécie de esfiha), couve na mwamba (um refogado de couve com pasta de amendoim), pilao (arroz com vegetais e gengibre), pomme soute (batata temperada frita inteira) fufu (uma espécie de polenta), choux (refogado de repolho) entre outros pratos que combinados, é uma verdadeira refeição.

congolinaria-fufu-01

Ao chegar fomos (estava com minha sócia e meu querido vegan baby de 2 meses) fomos recepcionados pela simpática Marie que nos explicou sobre os pratos, as opções e então pedimos uma sugestão o qual depois de muita conversa boa, o Pitchou nos sugeriu o pilao seguido de couve na mwamba e bufett froid. Em outro prato a sugestão foi Nhoque de banana com shimeji. Em ambos pedimos um suco tangawisi que leva abacaxi, gengibre e algumas especiarias afrodisíacas, fomos comprovar!

congolinaria-mbuzi-01

No Congolinária, apesar de os nomes serem muito diferentes para nossa língua já que eles têm influência francesa, no menu há todos os ingredientes muito bem explicados e é aí que notamos uma grande semelhança com nossa culinária brasileira. Os pratos são divididos em porções individuais e refeições. Esta última é um mixa das porções e os pratos são bem servidos.

SIMBA – acaba sendo uma combinação de pilao, kachori (bolinho de batata com shimeji frito), couve na mwamba, buffet froid, tangawisi e de sobremesa omomba, um doce de biomassa de banana da terra com amendoim.

congolinaria-simba-01

Leia também em nosso BLOG:

– 05 Melhores hambúrgueres e pizzas veganas de São Paulo!
– Como comer comida VEGANA em qualquer restaurante e ir além do ALFACE?
–  Jantares Veganos em São Paulo

NGOMBE – uma deliciosa combinação de nhoque de banana da terra ao molho de shimeji (ou choux) e acompanha um suco.

congolinaria-ngombe-01

Como bons apreciadores da boa gastronomia vegana, não podíamos deixar de provar as sambusas, bem parecida com uma esfiha de massa mais leve. Os recheios são os mais variados como berinjela, shimeji, shitake, abobrinha ou tomate. Vale a pena pedir esta opção de entrada ou simplesmente, levar para casa.

congolinaria-sambusas-01

O Congolinária está em um food park muito bacana, o Quintal de Casa onde lá você encontra outras opções veganas na culinária árabe e mexicana, por exemplo. Agora em novo endereço provisoriamente

congolinaria

O Congo é pais com muitos recursos minerais valiosos como diamantes, ouro, ferro e urânio, talvez por isso tem sido palco de muitos conflitos que acabam gerando genocídios que já levaram a morte de mais de 6 milhões de pessoas ao longo de 20 anos e fugindo desta violência o simpático refugiado se instalou no pais com sua família.

congolinaria-balcao-01

Formado em direito, Pitchou Luambo que também é professor de francês e ator, fundou em São Paulo o GRIST (grupo de refugiados e imigrantes sem teto) para promover a integração e organização de refugiados de diversas nacionalidades. Dentre muitas histórias de dor, luta e alegria, me alegrou ouvir do próprio Pitchou que; “a base da gastronomia africana são os vegetais, que precisamos desmitificar que há carne em nossa cozinha, hábito que foi praticamente adquirido somente no Brasil quando nossos antepassados aqui chegaram”.

congolinaria-ii-01

 

Serviço:

Horário:

Seg – Sex: 12:00 – 15:00
Endereço:
Rua Marinho Falcão, 55, Vila Madalena . Estamos Aqui.

Serviço: A La Carte
Preço: $ (A partir de R$ 20)
Telefone: (11) 94376-2912

Congolinária nas mídias sociais
Facebook @congolinaria

Valores checados em outubro de 2016

O preços informados podem sofrer alteração sem prévio aviso.

Tem novidade por ai, clique abaixo!!

Avaliação:

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*